A Bioideias é uma empresa de biotecnologia que através do seu centro de pesquisa dedica-se à criação de soluções alternativas, de base natural, para oferecer produtos e serviços que promovam à preservação do meio ambiente. Tecnologia brasileira com alta eficiência, patenteada no Brasil e no exterior.

Um dos nossos diferenciais é a não utilização de produtos químicos, inovação e avanço tecnológico. Conseguimos oferecer aos clientes soluções adequadas, personalizadas e processos enxutos que possibilitam uma relação de custo-benefício competitiva, maior retorno nos resultados e conformidade com as principais normas ambientais.

Contexto

O desenvolvimento da sociedade sempre dependeu da transformação da matéria-prima fornecida pelo meio ambiente, novos recursos e produtos foram criados através da evolução tecnológica e social da humanidade. A Bioideias faz parte dessa evolução tecnológica e orientada no princípio da sustentabilidade oferece tratamento para 100% de tudo que é encontrado no processo.

Conceito

Missão: Pesquisar e desenvolver soluções de bases tecnológicas com foco na valorização da vida dentro da visão sustentável.

Visão: Ser um núcleo modelo; referência mundial em desenvolvimento e busca por alternativas sustentáveis.

Cenário

Resíduos Orgânicos

Com base na composição de RSU (Resíduos Sólidos Urbanos) no Brasil em 2014 a quantidade de matéria orgânica representou mais de 50%. O lixo orgânico é entendido como grande vilão dos aterros sanitários por ter um rápido poder de decomposição, processo que provoca a geração de chorume, que se caracteriza por um líquido altamente complexo que se não captado e tratado corretamente pode encontrar o lençol freático e contaminá-lo. A geração de gás metano, prejudicial à camada de ozônio, é outro grande problema gerado pelo resíduo orgânico.

De acordo com o regulamento que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei 12.305 de 2010, Capítulo II, Artigo 3º , temos:

VII - destinação final ambientalmente adequada: destinação de resíduos que inclui a reutilização, a reciclagem, a compostagem, a recuperação e o aproveitamento energético ou outras destinações admitidas pelos órgãos competentes do Sisnama, do SNVS e do Suasa, entre elas a disposição final, observando normas operacionais específicas de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos.

Logo, a compostagem é uma forma de destinação final ambientalmente adequada para os resíduos.

Surgido nos anos 70, Resíduo Zero é um conceito inspirado nos ciclos naturais de vida, que são eficientes e sustentáveis, em que tudo é transformado em outros recursos, sem desperdício e sobras. Adotar o conceito Resíduo Zero significa:

  • Minimizar os impactos no solo, na água, no ar e nos ecossistemas, em geral, que podem ser nocivos ou ameaçar a saúde planetária - humana, animal e vegetal – e provocar irreversíveis alterações climáticas;
  • Projetar e gerenciar produtos e processos para reduzir o volume e a toxicidade dos resíduos e materiais;
  • Conservar e recuperar recursos naturais;
  • Evitar a queima ou aterro de resíduos;

Constituem a concepção de Resíduo Zero o tratamento dos resíduos orgânicos via Compostagem e Biodigestão.

Reduzir o envio de resíduos aos aterros sanitários é um grande passo para a humanidade, uma atitude extremamente necessária e valorizada no processo de construção de uma imagem socialmente responsável por parte das grandes empresas em todo o mundo.

Até pouco atrás as atitudes ambientalmente responsáveis eram vistas apenas em demonstrações contábeis, agora os relatórios de sustentabilidade são mais transparentes devido à cobrança dos stakeholders e cada vez mais valorizados no mundo empresarial transformando-se em foco de diversos investimentos e ações de grandes, médias e pequenas empresas.

Solução para Tratamento de Resíduos Orgânicos

Crise Hidrica

“A água é uma das maiores prioridades para o desenvolvimento e para uma vida digna, assim como um fator para manter a paz e a segurança”, declarou Jan Eliasson, vice-secretário-geral da ONU, quando abriu os Diálogos Interativos sobre a Década Internacional para Ação “Água para a Vida”, 2005-2015.

Normas legais cada vez mais rígidas exigem dos gestores soluções para lidar com a questão. São cobradas soluções de processos mais inteligentes, no qual a maior parte do o volume de água possa ser reaproveitada.

A indústria de São Paulo, cuja atividade de janeiro a junho caiu 8,7%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atravessa também o pior momento da crise hídrica. “Estamos chegando no fundo do poço e se os reservatórios, tanto o Alto Tietê como o Cantareira, não se recuperarem a prioridade absoluta vai ser o abastecimento humano, e aí vamos ter que parar a produção”, alerta a gerente do Departamento de Meio Ambiente, da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Anicia Pio. O setor, que consome 10% da água disponibilizada na região metropolitana, foi obrigado a reduzir em 30% a captação do insumo em Campinas na terça-feira (18) e prepara-se para novas restrições nas regiões abastecidas pela Bacia do Alto Tietê, onde o governador Geraldo Alckmin, depois de ano e meio de crise, acabou de reconhecer oficialmente a gravidade do cenário abrindo assim a possibilidade de suspender captações de água do setor privado, tanto da agricultura como da indústria. (http://brasil.elpais.com/brasil/2015/08/21/politica/1440193781_969574.html).

A falta de água causará diversos problemas, tanto para a população como para a maioria das empresas que dependem dela para seu processo produtivo e que são grandes consumidoras.

Solução para Tratamento de Efluetes

Segmento Agrícola

Ming Liu, coordenador executivo da Organics Brasil, acredita que o aumento da produção e procura por orgânicos é reflexo de uma mudança na mentalidade dos consumidores de forma mundial. A tendência de consumo hoje é voltada a produtos em que questões como bem-estar e saúde são prioritárias. Hoje as empresas devem buscar produtos práticos, mas não necessariamente industrializados, porque a questão de praticidade apenas não resolve mais. A qualidade dos alimentos conta. Além de benefícios físicos que proporciona, a agricultura orgânica também aparece como grande alternativa para construção de um relacionamento positivo do homem com o meio. Fernando Ataliba, agricultor no Sítio Catavento e conselheiro da Associação de Agricultura Orgânica, falou sobre a importância da produção para manutenção das condições climáticas e do bem-estar do ecossistema por preservar o ciclo das águas que, segundo ele, é impactado negativamente pela agricultura convencional. (http://revistagloborural.globo.com/Noticias/noticia/2015/06/importancia-da-alimentacao-organica-e-destaque-na-biobrazil.html)

Em nível mundial, os meios de sustento de 2,5 bilhões de pessoas dependem da agricultura. Os seis Princípios Empresariais para Alimentos e Agricultura (PEAA) oferecem uma abordagem integrada para o enfrentamento do desafio da crescente demanda global por alimentos. Da mesma forma, respondem à chamada da Conferência Rio +20 para a intensificação da produção sustentável de alimentos, com o aumento de investimentos locais, o acesso aos mercados locais e globais e a redução do desperdício nas cadeias de abastecimento. (http://nacoesunidas.org/)

Solução para Uma Agricultura Limpa